top of page

Como descobrir as nossas origens

Todos nós gostaríamos de descobrir a origem da nossa família, não é mesmo? Cada um de nós por um motivo diferente. Alguns sonham em morar fora do país e com uma cidadania diferente esse sonho poderia se tornar realidade. Outras amam história e saber todos os lugares por onde a própria família passou é também um sonho a ser realizado. Não importa qual é o seu sonho, pois cada sonho é especial, então eu quero te ajudar.

Foto da internet


Existem muitas metodologias para se descobrir a origem de uma pessoa, mas eu vou contar para vocês quais são as principais.


DICAS:


1. Conversar com os familiares mais velhos, mas se eles já faleceram, você pode entrar em contato com os parentes mais distantes (irmão ou primos dos avós por exemplo).


Por que essa é a dica número 1? As pessoas mais velhas da família com certeza sabem se ter algum estrangeiro ali no meio dos parentes, porque se hoje isso é novidade, imagina anos atrás. Provavelmente eles não sabem os detalhes, ou sabem só que “fulano veio de navio de não sei onde”, mas esse “não sei onde” pode ser já o começo da sua pesquisa porque pode indicar:

  • O porto de onde o navio partiu;

  • A região de origem dessa pessoa ou dos filhos dela;

  • A província de origem;

  • Ou para os mais sortudos, a cidade (que é o seu objetivo).

Mesmo que seja só o porto de onde o navio saiu, já ajuda a identificar se essa pessoa vivia no norte ou no sul da Itália por exemplo, assim já excluímos a outra metade e focamos só naquele que individualizamos.


Mas Leticia, eu não falo com os meus parentes. Eu não te julgo, acontece nas melhores famílias. Neste caso, você pode contar com a ajuda de outras pessoas. Pede para os seus pais, irmãos, primos ou quem você puder contar, para ir lá e conversar com esse parente mais velho, mas não deixe de seguir essa dica, pois é a mais preciosa e provavelmente é aquela que vai te dar uma direção a ser seguida.


2. Reúna a maior quantidade de certidões que você puder. Nascimento, casamento e óbito.


Comece a pedir nos cartórios a sua certidão de nascimento EM INTEIRO TEOR (vou explicar mais em um outro post), depois a certidão de nascimento dos seus pais, depois a dos seus avós e assim por diante até chegar no italiano (ou estrangeiro) que você está procurando.


Normalmente na nossa certidão de nascimento está escrito qual é a origem dos nossos pais, assim você vai saber em qual cartório procurar pela certidão de cada pessoa da sua árvore genealógica.


Lembre-se de procurar nas certidões de cada pessoa da família, sem pular. Por exemplo, se você não encontrou nada nas certidões (nascimento, casamento e óbito) da sua linhagem, pode começar a procurar também nos documentos dos seus tios, primos ou até mesmo nos documentos dos irmãos do estrangeiro porque normalmente os filhos nasciam na mesma cidade, então se alguém declarou ao cartório (no casamento ou óbito) qual era a cidade (ou região, província, ecc.) de origem da pessoa, você já vai saber onde procurar.


Essa infelizmente é uma das dicas mais caras, porque você precisa pagar ao cartório por cada documento e se emitido em INTEIRO TEOR custa ainda mais porque contém TODAS as informações contidas nos atos, por isso é tão preciosa para a nossa pesquisa.


3. Se você acha que já fez de tudo e não encontra nada, então verifique na outra linhagem da sua família.


Por exemplo, se você está procurando na família do seu pai, comece a procurar no da sua mãe; se você está procurando na família do pai da sua avó ou avô, veja se a esposa dele ou marido dela também era estrangeiro e procure na linhagem dela ou dele. As vezes mudar o foco pode te ajudar a encontrar a solução.


Procure o nome do estrangeiro no google, mude a forma de escrever em todas as variações possíveis. Por exemplo: Se a pessoa se chamava José, em italiano ele deveria se chamar Giuseppe. Assim, você pode encontrar informações valiosas.


Eu já encontrei para uma amiga noticias de jornal da época que o bisavô dela morava em uma cidade do interior. Encontrei também um blog que contava a história dos italianos que moravam naquela cidade e assim consegui o contato de uma prima distante dessa minha amiga, que era filha do italiano irmão do bisavô dela, e me ajudou muito na pesquisa porque ela nos contou histórias que ouviu do pai e assim pudemos saber mais sobre a região da Itália de onde eles vieram.


Gostou dessas dicas? Deixe aqui nos comentários qual delas você já usou e se tem outras para compartilhar com a gente.


Espero ter te ajudado, pelo menos um pouquinho. Sei que a estrada é longa, mas não desista, pois é possível conseguir!!


Um forte abraço.

4 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page